Até onde a Imaginação Pode viajar.


Concorrentes ao Oscar 2010

por Caroline Araújo

O que dizer sobre filmes de amigos que são feitos para amigos, ou algo do gênero? Acredito que são filmes que se tornam divertidos para se fazer e quando o é assim em essência, essa coisa “amiga” atravessa a tela e toca quem assiste a obra acabada. Despretensiosamente, eis que temos um espécime desse tipo perambulando pelas telas de cinemas no momento.Trata-se da fabula psicodélica “The Imaginarium Doctor Parnassus – O Mundo Imaginário de Doutor Parnassus”(2009) dirigido pelo também alucinado inglês Terry Gillian (Irmãos Grim, O Pescador de Ilusões e Medo e Delírio) ex- integrante da trupe de comédia  Monthy Phyton.

 “The Imaginarium Doctor Parnassus” talvez seja um dos melhores filmes de Gillian nos últimos anos. Alucinado, psicodélico, escancarado, misterioso, contos da carochinha, o que quer que seja, está repleto de referência claras, da assinatura que Gillian criou. Com um elenco de “amigos” que na verdade são super astros; este foi o último filme deHeath Ledger. Ele havia rodado 1\3 de suas cenas quando faleceu. Até por isso, a produção necessitou suspender as gravações para poder dar um rumo ao material. A solução encontrada e que, encaixa perfeitamente na história sem prejudicá-la, foi fazer com que o personagem de Heath (Tony) mudasse de fisionomia cada vez que entrasse no mundo de Parnassus. Assim, Johnny Depp, Jude Law e Collin Farwell assumiram as cenas restantes.

 

Um direção de arte fantasiosa e deliciosa, conecatadas com um figurino esquisofrenico e hilario e uma maquiagem forte de traços e cores. Um baile de paletas de cores e de imaginação. Leve e louco. Talvez com um apuro maior nas partes onde são necessárias animações atráves da computação gráfica, o filme como um todo pudesse ter um resultado final mais satisfatório.Entretanto, ao que ele se propõe ele cumpre. Contar uma fabula, moderna ou não¿ As atuações de todos estão conexas.

 É exatamente o que disse no inicio.  Sentimos a leveza e a felicidade dos envolvidos em realizar este projeto de amigos.Terry Gillian escreveu o roteiro de Parnassus juntamente com Charles McKeown, com quem ja havia trabalho em 1988 em       “ As Aventuras do Barão de Munchalsen” e costuma dizer nas entrevistas de divulgação que o filme é “estória engraçada e humorística sobre as consequências de nossas escolhas pessoais durante a vida”, e explicou seu objetivo com o filme: “É autobiográfico. Estou tentando trazer um pouco de fantasia a Londres, um antídoto às vidas modernas. Amei a ideia de um espetáculo itinerante antigo que contasse histórias e maravilhas da maneira que costumava ser, para as pessoas que só conhecem filmes de ação repletos de tiros.”

No elenco presenças de peso Christopher Plummer que trás vida ao Doutor; Andrew Garfield e  Verne Troyer que fazem parte da Trupe circense, Tom Waits que personifica o diabo  e a jovem Lily Cole que interpreta “Valentina” filha de Parnassus e remete a uma boneca de lábio pequenos olhos grande nariz arrebitado e grande bochechas. Na edição do Oscar deste ano a película concorre nas categorias de Melhor Figurino e Melhor direção de arte.

 Em síntese, vale a experiência despretensiosa, vale assistir a ultima atuação de Ledger, vale boas risadas e deixar a mente viajar e se esbaldar pelo mundo imaginário que se visita. Em alguns momentos não precisamos de filmes geniais, apenas de filmes bacanas, como conversas de amigos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s